Foi divulgada a seleção de filmes do Feed Dog Brasil, que acontecerá online, de 15 a 20 de dezembro, em todo o território nacional.

 

Documentários Internacionais:

 O Império de Pierre Cardin

David Abersole, Todd Hughes

Estados Unidos | 2019 | 97 min.

Existem poucos nomes mais universais do que Pierre Cardin. Sua marca está em roupas, calçados, acessórios, perfumes, malas, joias… aviões. Trabalhador incansável, Cardin espalhou seu nome pelos cinco continentes, sempre com propósitos e ideias muito claras. Neste filme, ele conta sua história, mostra suas principais criações, fala sobre suas frustrações e dilemas sem, em momento algum, perder o senso de humor. *Filme de abertura 

 

Martin Margiela: In His Own Words

Reiner Holzemer

Bélgica, Alemanha | 2019 | 90 min.

Mesmo dez anos depois de deixar o mundo da moda, o nome Martin Margiela ainda desperta uma mistura de mistério, admiração e intriga que nenhum outro designer conseguiu reunir. Sem nunca ter saído do anonimato (nunca se deixou fotografar), suas mãos acompanham sua voz para revelar pela primeira sua infância, sua trajetória profissional e seu deslumbrante processo criativo.  

 

The Disappearance of my mother

Beniamino Barrese

Itália / 2019 / 96 min.

“Podem me vestir, pentear e maquiar como quiserem, mas o meu eu verdadeiro não é fotografável porque não estou à venda”, disse a modelo italiana Benedetta Barzini quando era um dos rostos favoritos de Richard Avedon, Irving Penn, Diana Vreeland e também de Andy Warhol. Ela logo percebeu que o ideal de beleza feminina foi construído pelo olhar masculino, e se rebelou contra isso. Décadas depois, seu caráter irreverente e combativo permanece indomável: aos 75 anos, sua missão é sumir do mapa e dar adeus a esse mundo obcecado pela imagem. *

 

Halston

Frédéric Tcheng

Estados Unidos / 2019 / 120 min.

A ascensão e queda de um dos maiores nomes da indústria da moda mundial parece coisa de livro. Halston começou trabalhando na fábrica de chapéus Bergdorf Goodman, se transformou no rei da moda nos Estados Unidos e, em pouco tempo, caiu pelo seu próprio peso. Designer favorito de celebridades como Jackie Kennedy, Bianca Jagger, Liza Minelli, entre outras, Halston tem uma história cheia de drama, luxo, sucesso, glamour, ciúmes e paixão. 

 

McQueen

Ian Bônhote, Ettedgui

Reino Unido / 2018 / 111 min.

Alexander McQueen sempre foi uma pessoa inquieta. Um gênio na passarela – onde conseguia exorcizar seus demônios – mas incapaz de lidar com o sucesso e encontrar a paz. Contando com depoimentos de pessoas próximas e vídeos caseiros, este filme de Ian Bonhôte e Peter Ettedgui mergulha na intimidade do personagem para contar a trajetória brilhante e trágica do artista. Um o retrato definitivo de um dos últimos enfants terribles da moda. 

 

Machines

Rahul Jain

Índia, Alemanha, Finlândia / 2017/ 71 min.

O diretor Rahul Jain mostra o dia a dia em uma fábrica de tecidos em Gujarate, no oeste da Índia. Aqui o movimento repetitivo das máquinas se mistura com o trabalho mecânico, estafante e insalubre de centenas de trabalhadores que fazem jornadas de 12 horas. São os representantes de uma mão de obra barata, que não conhece direitos trabalhistas, idade ou condições de higiene e que encontra no trabalho duro a única saída para garantir o sustento de suas famílias. 

 

Mapplethorpe: Look at The Pictures

Fenton Bailey, Randy Barbato

Alemanha, Estados Unidos / 2016 / 108 min.

Robert Mapplethorpe foi um dos artistas mais criativos, provocativos e importantes do século 20. Em sua curta carreira, quebrou paradigmas, escandalizou conservadores e liberais e chegou aos museus de arte mais prestigiados do mundo. Para contar essa história, os diretores Fenton Bailey e Randy Barbato não fizeram concessões e revelam a personalidade complexa desse grande artista, que continua influenciando gerações de fotógrafos no mundo inteiro.

 

“Conte tudo a ela. Me mantenha vivo”, disse Robert Mapplethorpe pouco antes de morrer a David Croland, o primeiro namorado do fotógrafo e um de seus mais famosos modelos. Mapplethorpe havia contratado uma biógrafa e queria que sua história fosse contada, que seu trabalho continuasse a ser visto e discutido e sua vida continuasse a ser lembrada.

Mesmo que nunca tivesse tido esta preocupação em ter uma biografia, sua polêmica trajetória jamais seria esquecida. Um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20, o fotógrafo quebrou paradigmas e levou a fotografia, até então desprezada como ‘arte menor’ ao patamar de arte que não só é digna de integrar coleções e museus de arte mais prestigiados do mundo (como o Guggenheim Museum de Nova York) quanto ser vendida a milhares de dólares.

Quando começou sua carreira, nos anos 1960, sua obra valia tão pouco que a escritora Fran Lebowitz jogou alguns de seus trabalhos fora. Em 1998, quase uma década depois de sua morte, o acervo de Mapplethorpe foi avaliado em 228 milhões de dólares. “Ninguém imaginaria. Ninguém queria fotografias”, diz Fran em Mappletthorpe – Look at The Pictures. “Tudo que foi preciso para se tornar Robert Mapplethorpe… E foi preciso dar sua vida. Literalmente”, diz Edward Mapplethorpe, irmão mais novo e assistente de Robert por vários anos. 

 

Bangaologia – The Science of Style

Coréon Dú

Angola / 2016 / 85 min.

“Um Bangão é sempre Bangão” Mas o que é ser um Bangão? “Banga” é o termo africano que faz referência a uma forma de vestir característica do povo de Angola. Um estilo colorista que reza: “quanto mais extravagante, melhor”. Neste filme, o cineasta Coréon Dú quebra conceitos preestabelecidos sobre a cultura africana e dá um novo significado ao termo, mostrando as origens desse movimento e sua influência na moda e no estilo do mundo contemporâneo. Além de cineasta, Coréon Dú é músico, produtor cultural, designer e artista plástico. Foi eleito o Homem do Ano no Angola Fashion Awards 2015. “Bangaologia” já integrou a programação de diversos festivais pelo mundo, recebeu a Menção Honrosa no Indie Fest Film Awards 2017.

 

Para o cineasta Coréon Dú, que em sua obra sempre investigou a cultura angolana, o que atrai a atração do mundo para Angola é a forma única e autêntica do angolano expressar seu estilo, sua banga. “É muito interessante que, quanto mais eu viajo e trabalho pelo mundo, mais eu vejo um crescimento do interesse pela arte, moda, arquitetura africanas, especificamente de Angola. Há poucos países africanos que falam português. E o fato de que as pessoas querem saber mais sobre isso foi isso que me levou a esta jornada de pesquisa, entrevistas com pessoas de Angola e de outros países”, declarou o diretor em sua participação no WWF – Festival de Cinema de Varsóvia 2016, onde o filme fez sua première mundial.

Além de cineasta, Coréon Dú é músico, produtor cultural, designer, artista plástico, entre outras funções sempre ligadas ao mercado cultural e à moda. É colaborador das edições do concurso Elite Model Look em vários países africanos e fundou a agência Da Banda Model Management, com a qual já descobriu e revelou para o circuito fashion internacional diversos nomes, tais como as tops Alécia Morais, Maria Borges, Roberta Narciso.

Uma das mais proeminentes personalidades do mercado criativo africano atual, foi eleito o Homem do Ano do Angola Fashion Awards 2015. Corén Dú também criou, em 2014, a grife WeDú e dirigiu o documentário I Love Kuduro, também em 2014. Bangaologia já integrou a programação de diversos festivais pelo mundo e recebeu a Menção Honrosa no IndieFest Film Awards 2017 e foi indicado a Melhor Documentário do London Fashion Film Festival 2016. 

 

Documentários Nacionais:

 

Favela É Moda

Emílio Domingos

Brasil / 2019 / 75 min.

Abordando a recente tendência do surgimento de agências de modelos na periferia das grandes cidades, Favela É Moda apresenta uma geração que acredita na afirmação de identidades e sexualidades.  O filme questiona a força estética e política de jovens negros em busca de realização pessoal no mundo da moda. Melhor Documentário (Júri Popular) e Menção Honrosa (Júri Oficial) no Festival do Rio 2019. 

 

Fios de Alta Tensão

Sérgio Gagliardi-Gag

Brasil / 2018 / 78 min.

O que o seu cabelo fala a seu respeito? Com um tom que passeia entre o coloquial e o antropológico, o documentário Fios de Alta Tensão, de Sergio Gag, faz uma investigação sobre a importância do cabelo – o corte, o penteado, o turbante e outros adereços – na construção da identidade de indivíduos, comunidades e grupos étnicos. O filme percorre São Paulo, Rio, Salvador e Belém para ouvir histórias de resistência, afirmação cultural e superação. É o cabelo revelando a diversidade racial, etária, socioeconômica e de gênero dos brasileiros. 

 

Deixa na Régua

Emílio Domingos

Brasil / 2016 / 85 min.

Deixa na Régua acompanha o dia a dia das barbearias da zona norte do Rio de Janeiro para revelar como o novo jovem brasileiro se relaciona com a beleza. No filme, o diretor Emílio Domingos retrata o cotidiano dos salões de beleza masculinos nas comunidades cariocas, colocando-se ao lado dos barbeiros desses lugares. Deixa na Régua é o segundo longa da Trilogia do Corpo, iniciada com A Batalha do Passinho, de 2013, e concluída com Favela É Moda, de 2019, destaque desta edição do Feed Dog Brasil. 

 

Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar

Marcelo Gomes

Brasil / 2019 / 85 min.

A cidade pernambucana de Toritama é considerada um centro ativo do capitalismo local. Aqui, mais de 20 milhões de calças jeans são produzidas anualmente, em dezenas de fábricas caseiras. Orgulhosos de serem seus próprios chefes, os proprietários dessas fábricas trabalham sem parar em todas as épocas do ano, exceto no carnaval. Quando chega a semana de folga, eles vendem tudo que produziram e vão descansar alguns dias em praias paradisíacas. Exibido e premiado em diversos festivais nacionais e internacionais. 

 

Alfaiates de Belo Horizonte

Sílvia Godinho e Ana Luísa Santos

Brasil / 2013 / 15 min.

Cinco alfaiates de diferentes gerações e origens revelam suas memórias, a trajetória na profissão e a relação da alfaiataria com a capital mineira. Um olhar sobre a passagem do tempo e este ofício, que hoje é ameaçado pela industrialização, mas que sobrevive baseado na excelência de seus profissionais. 

 

Mini Miss

Rachel Daisy Ellis

Brasil / 2018 / 16 min.

Filmado inteiramente sob a perspectiva de uma criança de quatro anos, Mini Miss acompanha cinco meninas entre 3 e 5 anos de idade, que participam do concurso de beleza Mini Miss Baby Brasil. O filme oferece uma visão única sobre a primeira infância, mostrando a capacidade de resistência das crianças em um mundo dominado por normas e desejos de adultos. 

 

Planeta Fábrica

Júlia Zakia

Brasil / 2018 / 11 min.

Este curta-metragem registra os últimos vapores de uma fábrica de chapéus em Campinas, no interior de São Paulo, que está prestes a ser demolida. Em linguagem de cinema direto, a diretora Júlia Zakia revê 100 anos de história em 11 minutos de sons e imagens que falam por si.